Road Trip Bahia – Na Estrada

naestrada

Fazer uma extensa viagem de carro é sempre mais trabalhosa do que pegar um avião e chegar no seu destino final. Porém, como tudo na vida, tem o seu lado positivo. Como li outro dia num texto, quem realmente gosta de viajar sabe que o que realmente importa é o caminho e não necessariamente o destino. E na minha primeira viagem de carro eu realmente senti isso e acho que esta é a maior vantagem, além da questão econômica. Passei por cidades que jamais passaria se não estivesse no meu caminho e gostei de ver um pouco mais do meu Brasilzão.

Como eu disse, viajar de carro é trabalhoso e o trabalho começa antes de pôr o pé na estrada. Para tornar a viagem mais agradável possível você precisa planejar bem a viagem para evitar perrengues.

No nosso planejamento, eu e Nando decidimos evitar o máximo possível de trechos de carro ao longo da viagem. Para isso, fomos dirigindo de uma só vez (durou 2 dias) para o local mais norte da nossa viagem (Valença) e de lá fomos descendo.

A IDA

1º Dia: Rio de Janeiro, RJ – São Mateus, ES

No primeiro dia, saímos cedo do Rio de Janeiro, às 7h30. Eu fui dirigindo até Campos de Goytacazes pela BR-101. Este é o melhor trecho de todo o percurso até a Bahia, pois a faixa é dupla, facilitando a ultrapassagem das mega carretas que circulam de norte a sul do país a 30km/h (Um absurdo, por sinal!). Porém, é onde você vai mais encontrar os fatídicos pedágios. Foram ao todo 4, custando a soma de R$14,80. Eu fiz em 3h30 este trecho Rio – Campos (271 km).

assis

caranguejo

Camarão Capixaba do Caranguejo do Assis

A partir de Campos, o Nando tomou o volante e depois de 3h30 estávamos chegando em Vila Velha (236 km) para almoçar no delicioso Caranguejo do Assis e descansar um pouco o corpo. Gostamos tanto do restaurante, que na volta fizemos questão de passar lá de novo. Super recomendo o camarão capixaba.

Para ir para Vila Velha e evitar rodar pela periferia, foi preciso sair da BR-101 na altura de Guarapari e pegar a Rodovia do Sol. A Rodovia do Sol é ótima, além de não ter buracos, ela é duplicada. O chato é que tem um trecho dela que possui pardais a cada 200 metros. Pegando essa rodovia, você chega em menos de uma hora em Vila Velha.

As 15h30 saímos de Vila Velha e eu voltei ao volante para o nosso destino final do dia, São Mateus. Levamos 4 horas para chegar em São Mateus (259 km). No caminho tinham muitas carreteiras e a estrada com faixa única é muito ruim para ultrapassar. Assim, chegamos as 19h30 no hotel.

Em São Mateus, nós tínhamos reservado o Hotel JB e foi uma excelente escolha. A noite custou R$100,00 pelo quarto duplo com ar condicionado. Apesar de não haver estacionamento, conseguimos parar bem em frente ao hotel, na rua mesmo. O quarto era ótimo, espaçoso, limpinho, banheiro idem. O café da manhã foi bem satisfatório também.

2º Dia: São Mateus, ES – Valença, BA

fotoNo segundo dia, saímos as 8h de São Mateus e o Nando dirigiu até as 13h, quando fomos almoçar numa churrascaria na estrada (R$30,00/kg), na cidade de Eunápolis (345 km), já na Bahia. Demoramos cerca de 5 horas para percorrer este trecho porque tivemos que ficar quase 1 hora literalmente parados na estrada em função de uma obra na estrada.

Em Eunápolis eu peguei o volante e segui até Itabuna (193 km), o que levou umas 2h30. E de Itabuna até Valença (204 km), o Nando voltou a dirigir, levando cerca de 3 horas para chegar lá.

Para chegar em Valença é preciso sair da rodovia federal e pegar a estadual BA-652 e percorrer 113 km nela. Esta rodovia estadual, apesar de ser menos movimentada do que a federal, apresenta verdadeiras crateras ao longo do caminho, sem contar que ela passa por dentro de pequenas cidades, desacelerando por demais a viagem.

Em Valença, nos hospedamos no Hotel Ondazul. Um hotel simples, com bons atendentes, mas um pouco desorganizado. O quarto não tinha toalha, o frigobar não tinha nada. Eles tiveram que providenciar tudo depois que chegamos. Mas fiquei num bom quarto e o café da manhã era satisfatório também e tinha estacionamento. Pagamos R$140,00 pelo quarto duplo com ar condicionado. Mas, sendo sincera, achei que o hotel de São Mateus deu de 10 a 0 neste, e ainda pagamos menos lá.

Obs.: Os dois hotéis possuem escada com muitos degraus no acesso para a recepção e quartos. Se você tiver algum problema de mobilidade, vale a pena levar isto em consideração.

Estacionamento Valença, BahiaNo dia seguinte, acordamos e fomos de lancha rápida para Morro de São Paulo. Para isto, deixamos o carro no estacionamento bem em frente ao cais, do lado da pracinha, chamado “Estacionamento Duduzzão” (telefones para reserva: (75) 3641-5551 e (75) 8103-4539). A cobrança é por dia e não por noite e eles cobraram R$15,00/dia para vaga descoberta e R$20,00/dia para vaga coberta, deixando as chaves com o condutor. Eu não fiz qualquer reserva, cheguei lá num sábado, por volta das 9h/9h30, no pico do verão (dia 04 de janeiro) e não encontrei qualquer problema. Mas se você for em épocas de festas, como réveillon, aconselho reservar com antecedência. É possível achar estacionamentos mais distantes do cais por valores menores, como R$10,00/dia.

A VOLTA

A volta foi mais tranquila, pois fomos naturalmente descendo para os nossos próximos destinos. Depois de visitar Morro de São Paulo e Boipeba, voltamos para Valença e seguimos até  Camamu (78 km em 1 hora), onde deixamos o carro para ir para Barra Grande de lancha.

Estacionamento Camamu, BahiaEm Camamu, estacionamos o carro no “Estacionamento Jamaica”. Quando você entrar na cidade, mais próximo ao cais, você já vai ver placas indicando este estacionamento. Porém, é preciso ligar para o Delis (telefone: (73) 9962-0740 ou (73) 8105-5655) antes ou achá-lo no shoppingzinho do Mercado Público, que fica bem ao lado do cais, pois ele quase nunca está no estacionamento durante o dia. O Delis foi muito atencioso e gostei do atendimento dele, apesar do estacionamento não ser tão perto como em Valença (mas fomos andando para a cais). Os preços da vaga são iguais do de Valença, ou seja, R$15,00/dia vaga descoberta e R$20,00/dia vaga coberta, deixando a chave com o condutor.

De Camamu fomos para Arraial D’Ajuda, percorrendo 407 km em 6 horas. Neste ultimo trajeto, paramos novamente na churrascaria em Eunápolis para almoçar antes de continuar viagem e pegar a estrada estadual BA-367. Esta estrada é muito melhor do que àquela que dá para Valença e Camamu. Como a Costa do Descobrimento é um chamariz muito mais turístico do que lá em cima, a estrada está em melhor conservação, tendo acostamento e o mato cortado.

Depois de Arraial nós ainda descemos mais um pouco para subir o Monte Pascoal que fica próximo do município de Itamaraju. Assim, fiquei por lá mesmo e no dia seguinte desci de Itamaraju até o Rio de uma vez só. Foram 955 km em um dia. Eu dirigi até Vila Velha, onde paramos para almoçar (454 km em 6 horas) e o Nando dirigiu de Vila Velha ao Rio (507 km em 6 horas).

Total de pedágios: 7 na ida e 6 na volta, pois na volta não se paga na Ponte Rio – Niterói. Na ida custaram R$29,40 e na volta R$24,50. Na Bahia não teve nenhum pedágio e no Espírito Santo só teve um, os demais foram todos no Rio.

Gasolina: A gasolina na estrada é bem mais barata do que nas cidades, então, sempre que conseguíamos preferimos abastecer na estrada. O preço na estrada variou de R$2,90/R$3,00, já dentro da cidade variou de R$3,20/R$3,30.

A estrada, em geral, está boa, só falta uma faixa dupla em quase toda a sua extensão para fluir melhor o tráfego. O pior trecho é na divisa do Espírito Santo e a Bahia.

E aí? Estão prontos para pegarem a estrada? Alguém vai fazer ou já fez este trajeto?

1530377_10152110574266624_553012648_n

Anúncios

3 respostas em “Road Trip Bahia – Na Estrada

  1. Pingback: Road Trip Bahia – Resumão | Pri pelo Mundo

  2. Pingback: Road Trip Bahia – Enquete da Viagem | Pri pelo Mundo

  3. Pri, muito massa seu blog, estou lendo tudo, rsrs… Também estou planejando uma viagem pro carnaval de 2015 de carro pra Bahia, saindo de Guaratinguetá, interior de São Paulo. Estou fazendo meu roteiro, será que pode me dar umas dicas?!?! 😉 Seguinte, minha ideia é sair dia 13/02 direto rumo a Itaúnas-ES (962 Km), ficando por lá até dia 15/02, quando pego estrada para Península de Maraú (660 Km), vou com o carro até lá, onde descansarei e explorarei as belezas do local… Dia 20/02 pretendo passar por Trancoso e dormir em Caraíva. Dia 21/02 pego estrada novamente talvez com parada em Guarapari, ou volto direto para minha cidade (ainda não decidi). É muito exaustiva a viagem de carro?? Vou eu e meu namorado, acho que conseguimos ir revezando numa boa… As estradas de noite são perigosas??

    Obrigada por compartilhar sua experiência.

    Abs,
    Juliana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s