Descobrindo a Península de Maraú

Península Maraú

INTRODUÇÃO

Mapa Península MaraúPenínsula de Maraú foi o nosso terceiro destino da Road Trip pela Bahia realizada em janeiro de 2014. Antes de pesquisar sobre a road trip, eu nunca tinha ouvido falar neste lugar e o plano inicial era fazer Morro de São Paulo, Boipeba, Itacaré e Costa do Descobrimento (Arraial D`Ajuda e arredores). Porém, depois de ler milhares de relatos de pessoas que foram para Itacaré e fizeram um passeio de um dia pela Península de Maraú e se arrependeram de não terem ficado mais, eu e Nando decidimos mudar os planos e trocamos Itacaré pela Península de Maraú, deixando Itacaré para outra oportunidade. Desta forma, fomos parar neste cantinho da costa bahiana.

A Península de Maraú se encontra na Baía de Camamu, no sul da Costa do Dendê da Bahia. A península apresenta mais de 40 km de extensão de praia quase desertas o ano todo.

CHEGANDO NA PENÍNSULA

Estacionamento Camamu, BahiaComo eu já relatei, eu e Nando saímos de Boipeba, pegamos nosso carro em Valença e seguimos viagem rumo a Camamu (1 hora de viagem de carro). Em Camamu, estacionamos o carro no “Estacionamento Jamaica”. Quando você entrar na cidade e estiver mais próximo do cais, já será possível ver placas indicando este estacionamento. Porém, é preciso ligar para o Delis (telefone: (73) 9962-0740 ou (73) 8105-5655) antes ou achá-lo no shoppinzinho do Mercado Público, que fica bem ao lado do cais, pois ele quase nunca está no estacionamento durante o dia. O Delis foi muito atencioso e gostei do atendimento dele, apesar do estacionamento não ser tão próximo do Cais como eu gostaria (mas fomos andando para a cais). Os preços das vagas variam de R$15,00/dia descoberta e R$20,00/dia coberta, ambas ficando a chave com o condutor.

Após dar um destino ao carro, o próprio Delis nos levou para o Cais e nos arranjou uma lancha que estava partindo em alguns minutos para Barra Grande, na Península. O esquema lá é bem mais desorganizado do que foi em Valença (ponto de partida para ir para Morro de São Paulo e Boipeba). Não tinha um caixa no cais, nós simplesmente entramos na lancha e pagamos para o piloto R$25,00 cada.

Após 30 minutos de viagem de lancha rápida, desembarcamos em Barra Grande. Confesso que eu tinha outras expectativas da Península Maraú e tomei um susto ao ver uma cidade relativamente grande em Barra Grande. Eu tinha acabado de sair de Boipeba, uma ilha pacata que vive no ritmo das ondas do mar, e achava que iria chegar em algo similar, mas… Nada disso! Primeiro, porque em Barra Grande é possível chegar de carro, principalmente agora com a rodovia para a região reformada, com isso o movimento é muito maior e a ida e vinda de carros 4×4 (que dominam o local) tira qualquer romantismo. Além disso, eu estava saindo de uma semana com os pés em areia fofa, já em Barra Grande as suas ruas são de terra batida, podendo virar barro com a chuva. Eu que já não queria sair de Boipeba, que foi minha paixão da viagem (leia mais neste post), quando eu cheguei naquele ambiente “urbano” quase deprimi… Afinal, cadê aquele paraíso que tanto falavam?! Antes que eu passe a impressão errada, horas depois o lugar foi me seduzindo, você verá.

ONDE FICAR NA PENÍNSULA DE MARAÚ

Saber onde ficar na Península de Maraú é uma dúvida e tanta e até agora não consigo tomar uma decisão. Existem duas opções completamente diferentes uma da outra:

  • BARRA GRANDE – esta é a cidade porta de entrada da Península. Isto significa que o acesso é muito mais fácil, tem muito mais infra-estrutura (isso não significa muita coisa, já que nem possui caixa eletrônico para sacar dinheiro), tem uma vida noturna muito gostosinha, com vários restaurantes charmosos para aproveitar (no centrinho não entram carros, mas apenas pedestres) e mais opções de hospedagem, deixando os preços mais acessíveis.

Taipu de Fora

  • TAIPU DE FORA –  este é o balneário da Península de Maraú, com uma beleza natural desigual!!! Em Taipu de Fora literalmente não se tem NADA para fazer, a não ser aproveitar a praia e o hotel. Não existe nem sequer uma comunidade naquela área. No “point” de Taipu você encontra uns três bares/lounge na praia bem charmosinhos, com destaque especial para o Bar das Meninas e o Buda Beach. Durante o dia a praia não tem nada de especial para padrões de uma genuína carioca como eu, e como eu tinha acabado de sair de Boipeba onde as praias são verdadeiras piscininhas, que não possuem nem uma marolinha sequer, a praia de
    Taipu de Fora

    Taipu de Fora

    Taipu de Fora são bem agitadas. No entanto, quando você chega na praia quando a maré ainda está baixa, você fica paralisada com tanta beleza. O que acontece é que a praia de Taipu na maré baixa cria piscinas naturais em razão dos corais bem próximos da areia, “prendendo” toda a vida marinha a alcance dos seus olhos e há apenas alguns passos de distância. Você nem precisa nadar se não quiser, basta a água chegar nos seus quadris que você vai se sentir no meio de um aquário natural. Um snorkel é super recomendável e se você não tiver, não se preocupe, terão várias pessoas alugando na praia. Porém, das piscinas naturais de Taipu eu explico melhor mais para o final do post. Se você escolher ficar em Taipu de Fora, as opções se resumem a resorts isolados de tudo e de todos, tornando sua diária bem salgada, pois geralmente inclui as principais refeições. Porém, se pesquisar, é possível encontrar alguns campings.

Depois dessa breve exposição, fica bem claro entender como é difícil tomar uma decisão da onde ficar. Por isso, indico para quem tiver tempo, ficar um pouquinho em cada lugar, dividindo a viagem nas duas estadias.

Infelizmente, eu não tinha muito tempo, mas apenas 3 dias, e acabei escolhendo ficar em Barra Grande. Eu e Nando ficamos na Pousada El Capitán, mas não indico ela não, pois apesar da pousada apresentar um bom custo x benefício, achei o atendimento bem ruim.

 O QUE FAZER NA PENÍNSULA DE MARAÚ

Pôr-do-sol no Bar da Rô => Depois de fazer o check in na pousada, eu e Nando fomos caminhar até o famoso Bar da Rô para fazer um almoço tardio. O Bar da Rô tem uma localização estratégica, bem no extremo da península, onde o mar encontra com o rio. Você tem a opção de escolher mesas para o lado da praia ou para o rio. Depois de uma semana de muita praia, eu e Nando escolhemos ficar perto do rio, onde se encontra o lugar perfeito para praticar stand up paddle no final do dia.
Levamos uns 20 minutos de caminhada para chegar lá a partir da nossa pousada. Saindo do centrinho da cidade demora-se um pouco mais, provavelmente mais uns 10/15 minutos.

Bar da Rô

Sobre os prós e os contras do Bar da Rô:
Prós – sua localização, sua comida maravilhosa e o ambiente super gostoso de passar o final da tarde.
Contra – o preço salgado (o prato mais barato custava R$100,00 o casal e a média R$150,00) e a demora no atendimento (que se você entrar no clima, nem te incomoda muito, como foi o nosso caso).

O Bar da Rô dá aquele clima baiaaaanoooo… Bem devagar… Nós almoçamos e ficamos horas nas espreguiçadeiras, vendo o céu mudar de cor, e ainda brincamos um pouco no SUP. Aiiiii que tarde delícia! E assim, a Península de Maraú começou a me encantar, aos poucos…. Mas o que me fez ficar boquiaberta foi quando eu e Nando fomos voltar para o hotel e andamos até o lado do mar do Bar da Rô… DICA: No pôr do sol, vá assistir no lado do mar. Não sei se foi sorte, mas o pôr do sol ocorreu bem na hora da maré baixa, fazendo com que o mar formar-se apenas uma fina película d`água na praia e espelhando todo o céu rosado até o infinito. Eu me senti dentro de um pintura e fiquei alguns minutos paralisada com tanta beleza ao meu redor. As cores mudavam constantemente e por cerca de uns 30/40 minutos eu assisti de pé um verdadeiro espetáculo da natureza! Sem exagero, posso afirmar que aquele foi o pôr do sol mais lindo que eu vi na vida. Espero que vocês possam ter a mesma experiência que eu tive.

Pôr do sol - Bar da Rô

A caminho de Taipu de ForaCaminhar de Barra Grande até Taipu de Fora => este programa são para os fortes e resistentes. A caminhada de Barra Grande até Taipu de Fora não tem erro, é apenas caminhar, caminhar e caminhar mais um pouquinho pela costa que você vai chegar no seu destino final. O trajeto é bonito, com uma natureza selvagem costeando o mar e civilização quase inexistente. Na maioria das vezes se olha para um lado e para o outro e você se dá conta que só tem você ali. Divino! Por isso, por favor, não deixe de levar água (e para os mais fominhas, algum belisquete). No entanto, a caminhada leva umas 2h30 em areia fofa. Ela é bem cansativa e, psicologicamente, tem momentos que pode ser entediante depois de ver a mesma paisagem por muito tempo. Eu e Nando ainda demos azar e pegamos um temporal no meio do caminho, e como não há civilização, nem tinha como a gente se proteger dela. Ficamos dois pintos molhados, ou melhor, encharcados. Como toda tempestade de verão, ela durou pouco, mas não foi nada agradável. Apesar dos pesares, eu indico a caminhada e a faria de novo.

Obs.: Para quem não gosta de caminhar, vale lembrar que existem duas maneiras para se chegar de Barra Grande até Taipu: táxi (não sei o preço, pois não utilizei) ou jardineira (R$5,00 cada perna, para cada pessoa). Foi com a jardineira que voltamos para Barra Grande. O ponto final da jardineira em Taipu de Fora é logo nos fundos do Buda Beach.

Taipu de Fora

No ponto das jardineiras (algumas atrás de mim) para voltar para Barra Grande.

Buda Beach - Taipu de ForaPassar uma tarde/manhã nos bares badalados de Taipu de Fora => Quando eu e Nando chegamos da caminhada de Barra Grande para Taipu de Fora só pensávamos em sombra e água fresca. Em Taipu, existe a opção do Bar das Meninas e do Buda Beach. Ambos possuem esquemas bem parecidos: mesas e/ou espreguiçadeiras na beira do mar e que para sentar é preciso pagar um mínimo de consumação (R$100,00 o casal). Nós acabamos ficando no Buda Beach e adoramos!!!! Nada melhor do que se exercitar e depois colocar as perninhas para o alto. Até caímos no sono lá, de tão confortável (e cansados) que ficamos. Almoçamos por lá e tudo foi muito bem aprovado: comida e serviço!

Piscinas Naturais Taipu de Fora => As piscinas naturais de Taipu são imperdíveis!!! Eu li muito sobre elas antes de ir, mas nada se compara com a beleza estonteante de estar flutuando num mar que parece mais um aquário. Nunca vi nada igual na minha vida! Foi neste momento que eu percebi… A Península de Maraú me fisgou de vez!

Piscinas Naturais de Taipu de Fora

Piscinas Naturais de Taipu de Fora

Para presenciar este espetáculo, é preciso chegar na praia de Taipu com a maré baixa. O horário da maré baixa varia conforme a lua, então, pergunte quando chegar lá. Eu e Nando tivemos que acordar 6h para chegar a tempo da maré baixa em Taipu (leva-se 30 min. de uma cidade a outra). Para aproveitar 100%, o ideal é visitá-las em dias de lua nova ou cheia. Não foi o nosso caso, mas mesmo assim foi lindo, maravilhoso. Fico imaginando como seria na época certa!

Piscinas Naturais de Taipu de Fora

 

P1010270

Por causa dessas piscinas, acredito que vale muito a pena ficar alguns dias em Taipu. Imagina toda manhã poder nadar num aquário?! Eu vi vários cardumes, diversos peixes, de vários tamanhos e até moreias. Como a maré baixa volta no final do dia, é possível fazer mergulho noturno para ver os animais também.

Piscinas Naturais de Taipu de Fora

Para deixar claro: Chegar nas piscinas naturais não tem erro. Estando em Barra Grande, pegue uma jardineira, e logo no ponto final dela você estará de frente para o final das piscinas. Alugue os snorkles e peça orientação para os rapazes que ficam ali para te informarem o início das piscinas, que fica uns 7 min. de distância.

Aproveitar o centrinho de Barra Grande => Todas as noites, eu e Nando aproveitamos o charmoso centrinho de Barra Grande. Existem opções para todos os gostos e bolsos. As pessoas costumam se vestir arrumadinhas, mas de forma simples. Enquanto em Morro de São Paulo e Boipeba as pessoas saíam à noite de short e havaianas no pé, já em Barra Grande as meninas colocavam um vestidinho simples, mas transadinhos.

Alugar um triciclo => um programa divertido é pegar o triciclo e explorar a península por conta própria. Não tivemos tempo para fazer isso, mas super vale a pena. Vale lembrar que é proibido triciclo na areia da praia, ou seja, para quem pensou em ir de triciclo para Taipu de Fora, só será possível pela estrada mesmo.

Passeio de barco pelas ilhas => o passeio de barco mais popular de Barra Grande passa pelas ilhas que ficam na Baía de Camamu, que são possíveis de serem admiradas quando você vem de Camamu para Barra Grande. A diferença é que no passeio ao invés de apenas passar por elas, você desembarca e aproveita as suas belezas. Sinceramente, eu não me encantei muito por este passeio não, e acabei não fazendo. As ilhas que geralmente estão neste passeio são: Ilha da Pedra Furada, Sapinho e Ilha do Goió.
Um plus deste passeio: é possível estender este passeio para explorar a Cachoeira de Tremembé, que falam mil maravilhas. Porém, é muito difícil encontrar quórum para ele, pois é bem mais caro, devido a sua distância, e muito menos conhecido. O interessante é que é possível chegar de lancha até a cachoeira.

Na volta, não deixe de comprar a sua passagem para Camamu com antecedência, pois na alta temporada enche e você pode não encontrar vaga no horário que você deseja, como aconteceu comigo e com o Nando. Tivemos que ficar 1h30 esperando a próxima saída.

Piscinas Naturais de Taipu de Fora

Piscinas Naturais de Taipu de Fora

Anúncios

38 respostas em “Descobrindo a Península de Maraú

  1. Pingback: Road Trip Bahia – Resumão | Pri pelo Mundo

  2. Oi Pri!
    Estou no dilema onde ficar em Maraú: vila ou Taipu. As jardineiras até Taipu são fáceis de pegar? Se eu ficar em Taipu, eu consigo transporte para ir até a vila durante à noite? Estas jardineiras vão depois de Taipu? Ouvi falar que tem outras praias lindas, inclusive com piscinas.
    Abs
    Amanda

  3. Que post legal. Me instruiu bastante, mas também estou com problema de muitos. Vou ficar uns 3 ou 4 dias em Barra Grane em Janeiro, e não sei onde ficar. :/ vou sozinho. Você tem ideia de um local com preço atrativo para indicar? Obrigado, Pri.

    Abraco, Murilo

  4. Olá, Pri!
    Quantos dias de estadia você recomenda, para conhecer todos os pontos interessantes da Península de Marau?
    Obrigado e bom dia!
    Sérgio

  5. Olá Prii!
    Parabéns! De maneira simples, e bastante objetiva , vc conseguiu descrever sua viagem aqui na Costa do Dendê! Eu adorei ! Melhor do que qualquer guia de turismo que se diz profissional .
    Sou baiana , e com certeza vou usar suas informações para ir à Boipeba, que n conheço ainda.
    Vc foi bem light nos pontos negativos da viagem! Foi romântica , equilibrada e divertida! Muito legal mesmo!!
    Só faltou vc fizer o total que vc gastou e por quantos dias …
    Um abraço ! E volte sempre à minha Bahia querida .

    • Oi, Jurema! Super obrigada pela msg! O seu Estado é bom demais! Doida para voltar! Falha técnica não falar os preços mesmo… Tenho que melhorar nisso! Você não foi a primeira pessoa que comentou. Nos próximos posts vou tentar colocar os preços. 😉

  6. Olá Pri, mto bons seus posts. Descobri agora seu blog, vou programar minhas férias para Bahia, e estou na dúvida sobre Morro de SP, Boipeba ou Itacaré, o que vc recomenda? Qual você mais gostou? Adoro praia paradisíaca, calma, areia fofa, com opções para vida noturna… Me ajuda please rs!

    • Oi, Larissa. Desculpa a demora na resposta. Fiquei afastada do blog e estou retornando agora. A sua pergunta é muito difícil, viu?! Infelizmente, eu nunca fui para Itacaré. Entre Morro de SP e Boipeba, eu me identifiquei mais com a paz de Boipeba. Mas Morro de SP também tem seus encantos. Como os dois ficam perto, se você puder esticar a sua viagem entre os dois ia ser ideal! 😉

  7. “O Bar da Rô dá aquele clima baiaaaanoooo… Bem devagar…”
    Não sei porque insistem com esses adjetivos que nada tem a ver com os baianos.

    • Oi, Maria Clara. Desculpa se você se sentiu ofendida. Não foi a minha intenção. Quis fazer uma referência carinhosa a fama do bahiano de saber aproveitar a vida na paz. Mas eu sei, é claro, que o povo baiano é muito trabalhador. Tenho diversos amigos da Bahia e tenho um grande carinho e admiração por todos.

  8. Acabei de voltar da Peninsula de Maraú, mas só agora li esse post. Fiquei feliz em saber que visitei todos os roteiros citados. Me hospedei em casa de amigos na comunidade de Campinho, ao lado da praia do Sapinho, fiz muitas caminhadas pelas praias quase desertas (nesta época o número de turistas é bem pequeno), principalmente porque estava chovendo muito. Adorei esse paraíso baiano e voltaria com certeza.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s