Chapada Diamantina: Roteiro 9 dias

diamantina

No último post eu falei das principais atrações da Chapadas Diamantina, agora vou contar como foi o meu roteiro. É uma excelente sugestão para quem quiser ter uma visão geral dos quatro cantos do parque e possuem 09 dias disponíveis.

Esse roteiro se passou no feriado de 12 de outubro de 2015. Fomos de avião até Salvador e seguimos de carro alugado até a Chapada Diamantina.

1º dia – sexta-feira – 09/10 (Rio – Salvador):

Peguei o vôo Rio – Salvador ao final do dia e encontrei no aeroporto de destino a minha amiga e companheira de viagem que vinha de São Paulo. Fomos direto pegar o nosso carro alugado na companhia Movida antes do check-in no Ibis ao lado do aeroporto (4,5km de distância).

Alugamos um carro simples (Gol, 1.2) no valor de R$ 724,00 por 10 dias. Como a Movida “do aeroporto” não dá para ir a pé, um representante da agência nos buscou no saguão e nos levou até a agência para cuidarmos da papelada e pegar o carro.

 

2º dia – sábado – 10/10 (Poço Azul e Igatu):

Saímos às 07h30 do hotel com destino ao Poço Azul e chegamos às 11h. A estrada foi muito tranquila e boa para dirigir. Esperávamos coisa pior, como estrada esburacada e cheia de caminhões, que não foi o caso. Usamos o GPS do Google Maps que nos atendeu muito bem.

O Poço Azul estava super cheio devido ao feriado e com muita sorte conseguimos entrar no grupo agendado para descer até a gruta às 14h (só é possível ficar 30 min na gruta). Sem ter o que fazer, caminhamos um pouco na redondeza e almoçamos no Restaurante da Alice que fica dentro da propriedade do Poço. A comida caseira estava deliciosa.

Depois de visitar o poço azul desistimos de conhecer o poço Encantado por causa do horário e fomos direto para Igatu. Essa estrada tem fama de ser um pouco perigosa, pois margeia um precipício e ela é toda pedregosa. Ficamos com receio de pegá-la no escuro.

Levamos umas 2 horas para chegar em Igatu, pois perdemos a entrada para a cidade e acabamos chegando junto com o pôr-do-sol. Infelizmente, não conseguimos ver a cidade durante o dia, mas à noite dela foi muito agradável.

Flor de AçucenaApós o check-in na Pousada Flor de Açucena, fomos procurar algo para comer na pracinha principal e ficamos encantada. Aquele cenário tranquilo, com os moradores sentados, batendo papo fora e/ou jogando xadrez e a meia dúzia de lojinhas charmosas ao redor da praça foi mais do que a gente esperava. Uma das lojas, de um ourives, possuía tantas peças de prata de excelente bom gosto inspiradas na natureza que me fez querer comprar a loja inteira, mas me contentei com um brinco e a minha amiga com um colar. Naquela noite jantamos num restaurante/pizzaria/casa de um morador que a filha pequena dele fez questão de se juntar com a gente e contar as mil e uma histórias da região e de como a família dela tinha chegado ali.

20180103_224015

Foto de Igatu pelas lentes do @leonelpittzer

3º dia – domingo – 11/10 (Cachoeira do Buracão e Abrigo do Mato):

Acordamos com o dia chuvoso e aproveitamos um pouco mais o banquete do café-da-manhã da Pousada Flor de Açucena e conhecemos os seus donos e suas histórias. Recomendo muito a estadia nessa pousada, que acabou sendo a melhor dos meus 10 dias pela Chapada.

Às 8h a chuva parou e saímos rumo à Cachoeira do Buracão. Tínhamos combinado com um guia (Luciano) para nos encontrar na portaria do início da trilha às 10h. O passo a passo de como chegar na trilha está no post anterior.

caminho buracão 2

Caminho para a Cachoeira do Buracão

Dica: a trilha para a Cachoeira do Buracão é muito fácil, não exige nenhum preparo físico e é lindíssima. A contratação de guia é OBRIGATÓRIA infelizmente. Mas a oferta é enorme. Você não terá problemas em achar guias no caminho fazendo ofertas para te levarem nessa trilha. O preço que fechamos em 2015 foi de R$ 100,00 a dupla + R$ 6,00/pessoa para ingressar no parque.

Após a trilha nos hospedamos no Abrigo do Mato (casa do nosso guia Luciano), onde tivemos um jantar caseiro delicioso com o Luciano e sua filhinha Lia.

abrigo

4º dia – segunda-feira – 12/10 (Cachoeira da Fumacinha e Abrigo do Mato):

cafe da manha Abrigo do Mato

Luciano e Lia, nossos anfitriões

Acordamos no Abrigo do Mato e tomamos um café da manhã delicioso com muito papo bom. Perdemos um pouco a hora e começamos a trilha para a Cachoeira da Fumacinha mais tarde do que o combinado (sugiro iniciar a trilha às 7h). O dia estava chuviscando, mas não queríamos perder a oportunidade de tenta-la. Infelizmente, mesmo com toda a nossa persistência, depois de 3h30 de caminhada acabamos desistindo. A trilha realmente é bastante penosa pois ela passa o tempo todo em cima do córrego de um rio e temos que ficar pulando de pedra em pedra, que são muitas vezes escorregadias.

A minha recomendação é fazer a trilha em dois dias ao invés de bate-e-volta como tentamos fazer. Em 2015, o preço do bate-e-volta guiado era R$ 200,00 (a dupla) e a trilha de 2 dias era R$ 500,00 (a dupla).

Mesmo não chegando à Cachoeira da Fumacinha vimos paisagens lindíssimas e curtimos os mergulhos nas piscinas naturais ao longo do rio.

5º dia – terça-feira – 13/10 (Vale do Capão e Riachinho):

Screenshot_20180107-170356A manhã foi de despedida da família linda do Luciano e daquele pedacinho do paraíso que é a casa dele, e pegamos o trecho de carro mais longo da viagem (Abrigo do Mato até o Vale do Capão). É um trajeto longo, mas lindíssimo!

Quando chegamos ao Vale do Capão, fizemos check-in na Pousada Pé no Mato, almoçamos o famoso bolinho de jaca e fomos direto aproveitar o Riachinho, que fica a 500 m da entrada da cidade.

O Vale do Capão é muito pequenino, só tem uma rua principal. Durante o dia a vila parece cidade fantasma, mas à medida que o dia vai chegando ao fim ela vai ganhando vida. Jantamos uma pizza de jaca deliciosa e paramos para comer a sobremesa num restaurante “natureba” mais para o final da rua.

6º dia – quarta-feira – 14/10 (Cachoeira da Fumaça por cima):

trekÀs 8h o nosso guia dos próximos 3 dias de trilha, Guga, nos encontrou na pousada e iniciamos a nossa caminhada. Deixamos toda e qualquer bagagem extra na pousada antes de ir.

A caminhada até a Cachoeira da Fumaça por cima é muito fácil. Mas a partir desse ponto descemos a Serra do Macaco que foi muito penoso. A trilha é muito erodida formando degraus gigantescos e cansativos de serem superados.

fumaça

Após a traumatizante Serra do Macaco chegamos ao ponto do nosso acampamento no meio de uma floresta densa, ao lado de um rio, numa região lindíssima. Fiquei deslumbrada. Tomamos banho no rio e comemos um jantar quentinho feito pelo Guga.

7º dia – quinta-feira – 15/10 (Cachoeira da Fumaça por baixo):

fumaça por baixo

Chegando na parte de baixa da Cachoeira da Fumaça

Iniciamos a trilha cedo e fomos direto ver a Cachoeira da Fumaça por baixo (fizemos um bate-e-volta, deixando nossas malas no camping). Descansamos e lanchamos por lá e depois continuamos a caminhada rumo a Toca da Capivara que é muito bonita, onde acampamos e vimos o céu mais estrelado da viagem!

Esse foi o dia mais fácil da trilha, mas mesmo assim demandou grande esforço e ajuda dos quatro apoios.

 

 

8º dia – sexta-feira – 16/10 (Cachoeira do Palmital):

trek 2

Cachoeira do Palmital

O terceiro e último dia da trilha foi o mais bonito e o mais cansativo.

Logo cedo, antes mesmo de tomar café da manhã, partimos rumo a Cachoeira do Palmital. Essa “cachu” e o caminho para chegar até ela parecem de contos de fada. A trilha se dá numa floresta densa e borboletas vão sobrevoando ao seu redor. Parece até mentira!

Depois de um refrescante banho na cachoeira só pra gente e um belo café da manhã, subimos até a belíssima Toca da Onça, onde tivemos a vista mais linda da caminhada.

Em seguida, descemos o Vale da Muriçoca até a Serra do Veneno. Esse trajeto é bem penoso e exaustivo devido ao acumulo de cansaço dos dias anteriores.

20180107_170055.png

Ao final da trilha chegamos na maravilhosa cachoeira do Ribeirão do Meio que tem um tobogã e uma piscina natural. Foi uma excelente recompensa! Descansamos um bom tempo por lá, e depois um transfer nos buscou e nos levou de volta até o Vale do Capão.

Overall da trilha de três dias: achei a trilha muito bonita e foi um prazer ter conseguido completá-la, mas foi muito sacrificante. Eu não faria novamente e só recomendo para pessoas que estejam com um bom preparo físico e disposição.

 

9º dia – sábado – 17/10 (Fazenda da Pratinha e Morro do Pai Inácio):

pratinha 3Depois de uma noite bem dormida na Pousada Pé no Mato e renovadas, saímos cedo rumo à Fazenda da Pratinha.

Chegamos ao final da manhã na Pratinha, almoçamos, e quando se aproximou do pôr-do-sol fomos para o Morro do Pai Inácio, e terminamos o nosso último final de tarde na Chapada de forma triunfal. Sem dúvida, a vista de 360 graus que se tem do topo do Pai Inácio é a mais linda que você pode encontrar e, melhor ainda, a trilha é bem fácil (não há necessidade de guia e é acessível por qualquer pessoa que não tenha dificuldade de locomoção).

20180107_170204

Após descer do Morro do Pai Inácio, fizemos o check-in no Pouso da Trilha em Lençois e batemos pernas pela cidade que nos surpreendeu positivamente pela estrutura e lugares transadinhos para comer e fazer compras. Se você não é chegado muito ao esquema “roots” e quer conhecer a Chapada Diamantina, Lençóis é o seu destino.

 

10º dia – domingo – 18/10 (Lençóis – Salvador – Rio):

Esse dia foi destinado ao deslocamento da volta. Acordamos, tomamos café da manhã e seguimos rumo a Salvador, onde deixamos o carro e fomos direto para o aeroporto. No aeroporto almoçamos e cada uma embarcou para a sua cidade de origem.

 

Neste post eu procurei dar uma visão geral do roteiro que eu fiz e gostei bastante, mas se você estiver procurando mais detalhes de cada atração dê uma olhada nesse post que acredito que vai te ajudar melhor.

Anúncios

Uma resposta em “Chapada Diamantina: Roteiro 9 dias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s