Morro de São Paulo – O que fazer

DSC02892

Este post é dedicado ao que as pessoas mais procuram saber quando vão para algum destino: O que fazer e conhecer lá? Por Morro de São Paulo tratar-se de um ilha, não é difícil adivinhar que suas praias são os grandes chamarizes dos turistas que vão pra lá visitar. Porém, mal você sabe, que Morro tem algumas coisas a mais para oferecer. Vamos a elas!

As principais atrações de Morro são:

Foto Ilustrativa

Foto Ilustrativa

Tirolesa – a sua majestosa tirolesa é tão famosa que está em muitos cartões postais de Morro de São Paulo. Ela possui 340 metros de extensão e 70 m de altura. Além de coragem, é preciso ter disposição para subir nela. Ela se encontra próxima do Farol e a subida é íngreme. O que compensa é a vista das 3 praias de Morro dando uma visão panorâmica da ilha. A tirolesa termina dentro d’água da 1ª Praia e o seu custo é em torno de R$50,00.
Confesso que eu não fui na tirolesa… Nem sequer caminhei até ela. Rolou uma preguiça no primeiro dia, quando eu explorei bem a Vila de Morro, e nos outros dias eu fui deixando, deixando, quando eu fui ver já era o último dia e preferi ficar aproveitando o meu namorado na pousada ao invés de encarar esta aventura.

Toca do Morcego

Toca do Morcego vista do barco, chegando em Morro.

Assistir o pôr do sol – o pôr do sol de Morro de São Paulo é a cereja do final dos dias na ilha. Quando você não pensa que pode melhorar, vem aquela bola de fogo enorme descendo até ser engolida pelo mar. Sem dúvida, uma visão para contemplar. Existem 3 lugares estratégicos para assistir este espetáculo:
Toca do Morcego – um bar que cobra R$10,00 de entrada e tem uma vista privilegiada para o pôr do sol. Para você pegar um bom lugar na “platéia” chegue antes das 17h. Este é o melhor lugar para quem está procurando um lugar charmosinho, badalado e com gente bonita. O clima pós praia é muito gostoso. Até o pôr do sol propriamente se pôr rola uma música ambiente, e depois dos merecidos aplausos indicando o fim do “espetáculo”, inicia sempre um show ao vivo. Quando eu fui, rolou uma banda de reggae bem gostosinha. Já o serviço, por mais simpático que os seus garçons argentinos sejam, eles não dão conta da alta demanda do verão e vá esperando que você não será propriamente atendido em menos de uma hora. O cardápio não é muito rico de comida, mas de bebida parece agradar a maioria. Não deixe de ir, ao menos, uma vez lá.

Pôr do sol Toca do Morcego

Pôr do sol na Toca do Morcego

Mirante do Farol – Dizem que o pôr do sol no mirante do farol é de tirar o fôlego, mas, como eu já escrevi anteriormente, eu não subi até lá… Então, fico devendo esta informação para vocês. Se vocês quiserem deixar a sua opinião por aqui depois de irem, será super bem vinda. 😉

Pôr do sol no Forte

Pôr do sol no Forte

Forte do Morro (Fortaleza do Tapirandu) – Adorei assistir o pôr do sol no Forte do Morro!!! Primeiro, porque acabou sendo uma surpresa agradável no meu dia. Eu estava voltando da praia da Gamboa bem na hora do pôr do sol e avistei o forte do barco e resolvi andar até lá para ver se a vista era bonita. Ô minha surpresa quando eu vejo o pôr do sol mais bonito da minha estadia em Morro lá! Segundo, porque o esquema é

Pôr do sol no Forte

Pôr do sol no Forte

0800! Confesso que me incomoda ter que pagar para assistir um espetáculo da natureza. Terceiro, porque acho o Forte mais o meu clima. Apesar dele não estar bem conservado e não apresentar conforto, as pessoas estavam ali tão deslumbradas com a natureza ao redor que chegava a ser contagiante. Tinha um rapaz com um violão tocando alguma música suave. E de vez em quando aparecia uma cardume de peixes “voadores” que pareciam estar dançando em cima d’água. Incrível! Curti muito este momento!

Para chegar no forte, é preciso ir como se estivesse saindo do Morro. Desça as escadas, passe pelo arco da entrada, mas antes de subir no cais, vire a esquerda onde você já vai poder ver que existe uma fortaleza contornando a ilha, herança da sua história antiga que eu contei no post “Morro de São Paulo – Sua História e Como Chegar“.

Pôr do sol no Forte

Pôr do sol no Forte

Pôr do sol no Forte

Pôr do sol no Forte

Para aqueles que não querem nem o burburim da Toca do Morcego e nem o jeito alternativo do forte e do farol, pode escolher uma das pousadas com restaurantes com vista para o cais para finalizar o seu dia de uma forma mais romântica, como a Pousada Passárgada. Outra alternativa é o Hotel Portaló, que também apresenta muita animação.

ponta do curral

ponta do curral

Passeio de barco para Gamboa e Ponta do Curral – Eu acabei não fazendo este passeio, pois fui a pé para Gamboa logo no primeiro dia que eu estive em Morro de São Paulo. Porém, confesso que fiquei mordida para ir só por causa da Ponta do Curral. Para quem vem de Valença para Morro, como foi o meu caso, fica 70% do trajeto admirando a Ponta do Curral de longe, que se destaca por ser literalmente uma ponta de areia com alguns coqueiros no meio, fazendo lembrar, inclusive, aquela famosa praia da Croácia, chamada Bol. A Ponta do Curral fica isolada e só é acessada de barco, então, ela fica praticamente deserta… Foi por isso que ela me cativou, além da beleza, é claro. E entre a ponta e o Morro existe um banco de areia, que só tem areia mesmo e que também é uma parada do passeio.

A caminho de Gamboa

A caminho de Gamboa

Apesar dos pesares, eu não me arrependo de ter ido a pé para Gamboa. Pelo contrário, super recomendo esta caminhada, pois além de linda, é super agradável. Só é preciso ficar esperta com o horário da maré alta, porque só é possível fazer a caminhada na maré baixa. Porém, o própria praia da Gamboa eu não achei nada demais, e ainda ouso dizer que eu achei ela feia, em comparação com as suas concorrentes. A sua “feiura”, na minha opinião, deve-se ao homem, pois a praia da Gamboa foi, literalmente, dominada por várias barraquinhas que espalharam milhares de cadeiras e mesas de plástico pela areia. Que coisa mais feia! Porém, vale lembrar o que eu já escrevi no post “Morro de São Paulo – Onde comer“, é neste amontoado de cadeiras que você vai encontrar os melhores preços para bater um pratão de moqueca com valor até 30% mais barato do que em Morro.

Praia da Argila

Praia da Argila

Afinal, por que caminhar até lá? Porque as praias por onde você passa até lá são muito bonitinhas!!!! Uma delas é a famosa Praia da Argila, que vale uma parada para você se sentir uma criança de novo e se lambuzar toda com argila. Se faz bem ou não pra pele, eu não sei, só sei que eu me diverti horrores! =)

A caminhada leva uns 40 min. e o seu início é fácil: só seguir as placas da Vila que você vai contornar o cais por cima, e descer numa praia, onde você terá que seguir toda vida em frente (para a sua direita, porque na sua esquerda você vai avistar o cais) que você chegará em Gamboa (que pode ser vista de longe, por causa das suas cadeiras e mesas de plástico).

A caminho de Gamboa

A caminho de Gamboa

Desconfio que deve haver barcos que saiam de Gamboa para a Ponta do Curral por um preço amigável. Como cheguei no final da tarde em Gamboa, nem procurei saber. Para voltar de Gamboa para Morro, basta pagar R$5,00, entrar num dos muitos barcos que estão saindo na hora que vocês estarão em 20 min. em Morro.

Passeio de barco Volta a Ilha – este é o passeio “queridinho” do Morro. Todo mundo faz! Este passeio sai da terceira praia, segue até as piscinas naturais de Guarapuá (não vai à praia de Guarapuá, não, só se reserva as piscinas naturais que ficam no meio do mar), depois para as piscinas naturais de Moreré (esta piscina é localizada na ilha de Boipeba), posteriormente na praia da Cueira (também em Boipeba), onde se encontra o famoso restaurante do Guido e suas lagostas, segue para a Boca da Barra (que é o “centrinho” de Boipeba), onde você encontra mais opções de restaurantes, para acabar, o passeio ainda para na cidade histórica de Cairú, considerada a segunda cidade mais antiga do Brasil.

Piscina Natural de Garapuá

Piscina Natural de Garapuá

Eu fiz cerca de 80% deste passeio, pois fui até a Boca da Barra. Na verdade, eu queria ir de Morro para Boipeba (o meu próximo destino da viagem), porém, não existe transporte que faça isso regularmente. Eu teria que pegar uma lancha para Valença e depois pegar uma lancha de Valença para Boipeba, o que me levaria uma manhã inteira. Ou eu poderia entrar no passeio da Volta a Ilha, aproveitar os atrativos e desembarcar no meu destino final e foi isso mesmo que eu fiz. Apesar de no dia que eu fui, a maré estava batendo demais, deixando todo mundo sacolejando na lanchinha, e, por este mesmo motivo, as piscinas naturais estavam meia turvas, este foi o melhor caminho que eu poderia ter escolhido.

Piscina Natural de Garapuá

Piscina Natural de Garapuá

Não quero ser a do contra, mas este passeio de Volta a Ilha só dá gostinho de “quero mais” para aqueles que não reservaram alguns dias para conhecer a linda Boipeba, um santuário de beleza natural.

Caminhar pelas praias próximas ao centro de Morro de São Paulo – estas praias são a 1ª, 2ª, 3ª e 4ª praia. Não tem erro. Desembarcando no cais é só seguir o fluxo, que a grande maioria vai em direção às praias. Antes de chegar na bifurcação da 1ª e 2ª praia você já vai ter passado no meio da Vila, que parece de cidade do interior, uma gracinha. Já em direção a 2ª Praia, você já vai começar a caminhar numa passarela de madeira, que beira a areia de um lado e os hotéis/bares do outro. Seguindo toda vida, você vai avistar a Ilha da Saudade da sua esquerda, e vai continuar na passarela, virando a direita. Neste momento, você terá ingressado na 3ª Praia. Nos primeiros passos você vai ficar intrigada, porque a praia propriamente dita desaparece, e a água alcança quase ou totalmente (depende da maré) o muro onde se encontra a passarela. Não desista. Continue andando. A passarela vai acabar e a areia vai ser o seu caminho a partir de agora. A praia vai se tornando mais selvagem quanto mais você continuar caminhando. Quando você virar à direita novamente, você já estará na 4ª praia, que é a minha favorita destas quatro. Mais vazia, natural, sem muita interferência do homem, a 4ª praia encanta todos os seus visitantes. Eu explico melhor sobre as praias no meu post “Morro de São Paulo – Onde se hospedar“.

Na 4ª praia

Na 4ª praia

A partir da 4ª praia você vai precisar de uma mãozinha para chegar nas demais. Esta caminhada pelas 4 praias dura cerca de 30 minutos fazendo direto, porém, toda a graça está em ir parando para aproveitar o local. Eu coloquei alguns lugares que eu fui e recomendo em cada uma das praias no post “Morro de São Paulo – Onde comer“.

CavalgadaCavalgar nas praias – este era um programa que eu estava doida para fazer! Acho coisa de filme e quando vi uma foto de uma amiga minha fazendo, eu estava certa que eu ia fazer também. Existem 3 tipos de cavalgada em Morro de São Paulo:
i) Até o Mirante – este é o ponto mais alto da ilha e é a cavalgada mais curta, dura 1 horinha ida e volta. Por isso, é possível conciliá-la com outras atividades e até mesmo outra cavalgada. Eu não fiz esta, mas conheço gente que fez e gostou. Valor: R$40,00.
Cavalgadaii) Até a Praia do Encanto (5ª Praia) – esta é a cavalgada que eu recomendo a todos fazerem, pois o seu percurso é todo na praia, passando por alguns manguezais e você alcança a praia mais linda de toda a Ilha, na minha opinião. A sua duração é de 1h30 de ida e volta. Acho que este é o máximo de tempo que uma pessoa consegue ficar cavalgando, se não for uma amazonas. Existem várias pousadas/resorts na 5ª Praia e vale a pena combinar com o guia do passeio para você parar numa delas para aproveitar um pouco a praia antes de voltar. Valor: R$60,00.

Chegando em Garapuá

Chegando em Garapuá

Garapuá

Garapuá

iii) Até Garapuá – Garapuá é uma vilazinha de pescador que fica do outro lado da ilha, bem ao sul, quase chegando em Boipeba. Foi este passeio que eu fiz e antes que você se anime, eu NÃO RECOMENDO fazê-lo!!!! O passeio é maravilhoso, lindo de viver, 70% é beirando o mar e 30% é dentro de uma linda mata. Coisa de filme! Porém, são 3 horas de cavalgada!!!! Uma hora e meia de ida e mais 1 hora e meia de volta. Quando eu cheguei em Garapuá, eu estava um pouco dolorida, muito cansada, a ponto que nem consegui comer nada, mas nada demais. Curti a vilazinha que é maravilhosa, com os seus barquinhos de pescadores encalhados propositalmente na areia por causa da maré baixa. Muito interessante. Porém, na volta… Eu queria pedir arrego! Foram as uma hora e meia mais longas da minha vida! Tá… Exagerei, mas foi bem desconfortável voltar mais 1 hora e meia cavalgando e não recomendo que ninguém faça, a não ser que já esteja bem acostumada, que definitivamente não era o meu caso. Eu fiquei nas próximas 36 horas do passeio sem conseguir sentar!!!! Para sair da cama eu tinha que rolar! hahahahaha Hoje eu tenho altas risadas, mas na hora não foi nada legal. Foge dessa! Valor: R$90,00 (e ainda era a mais cara! Que furada!).

Garapuá

Garapuá

Todos esses preços são relativos ao serviço do rapaz que me guiou no passeio. Um rapaz muito simpático e prestativo, chamado Santos (tel. contato: 75 8234-2305). Ele e outros se encontram na 4ª praia, uns 100 metros depois do Restaurante Pimenta Rosa. Não é preciso reservar antes, basta chegar e contratar o serviço na hora.

Passeio de 4×4 até Garapuá – esta, sim, é a melhor forma de conhecer Garapuá! Não deixe de ir lá. É uma gracinha. Mas vá de 4×4. Este passeio sai de manhã e volta a tarde, com duração média de 6 horas. De Garapuá é possível fazer o passeio até as suas piscinas naturais, porém, acabei não fazendo porque está incluído do passeio de Volta à Ilha.

Passeio de charrete até a 5ª praia (praia do Encanto) – não é à toa que a praia do Encanto tem este nome. Como eu já escrevi, esta foi a minha praia favorita! Porém, para chegar nela não é tarefa não fácil. Por isso, saem, com frequência, charretes da 4ª praia que levam turistas pra lá. Não perguntei o preço, mas acredito não ser nada muito caro, porque utilizam este meio de transporte toda hora. Então, se você não é do tipo que curte uma cavalgada, esta é a melhor forma pela qual você poderá conhecer a 5ª praia e não deixe de ir nela! Imperdível!

Curti a vila de Morro – como não poderia deixar de ter, curta um pouco a vila de Morro. Ela é pequenina, mas bem jeitosinha e repleta de tendinhas com trabalhos artesanais e bijuterias. O clima de Morro é bem despojado. Se quiser, você pode ficar o dia todo de biquíni e saída de praia ou short e camiseta que você não se sentirá desarrumada.

Observação de baleias Jubarte – este eu não pude fazer, porque não fui na estação que elas aparecem. A época que elas passam por esta região é de agosto a outubro.

Leia também:
Morro de São Paulo – Onde se Hospedar
Morro de São Paulo – Onde Comer
Morro de São Paulo – Sua História e Como Chegar
Road Trip Bahia – Resumão

Anúncios

9 respostas em “Morro de São Paulo – O que fazer

  1. Pingback: Road Trip Bahia – Resumão | Pri pelo Mundo

  2. Pingback: Morro de São Paulo – Onde se Hospedar | Pri pelo Mundo

  3. Pingback: Morro de São Paulo – Onde Comer | Pri pelo Mundo

  4. Pingback: Morro de São Paulo – Sua História e Como Chegar | Pri pelo Mundo

  5. To saindo do Paraná com destino à Bahia, louca para conhecer esse paraíso. Por conta da economia, já adquirimos nossa passagem de ônibus até a Bahia com meses te antecedência no http://www.queropassagem.com.br e depois, pretendemos ficar em torno de 25 dias passeando pela região. Vais er uma experiência única!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s